SCHOOL TRILOGY: QUAL A RELAÇÃO ENTRE BTS E O LIVRO A REVOLUÇÃO DOS BICHOS?

Flavianny Monteiro Carvalho

Animal Farm é uma obra do gênero Romance escrito no ano de 1945 por George Orwell, um pseudônimo de Eric Arthur Blair.  O título no Brasil foi alterado para “A revolução dos bichos” com o intuito de atrair mais leitores, pois um nome que sugere uma luta por um ideal dos animais soa bem mais interessante e impactante que “Fazenda dos animais”, concorda? 

Figura 1 – Primeira edição de Animal Farm
Fonte: Cultura genial, 2020
Figura 2 – Edição brasileira de Animal Farm
Fonte: Ebooks Brasil, 2000

Agora vamos ao que interessa, do que afinal se trata esse livro? De acordo com Fuks (2020), a revolução dos bichos gira em torno das angústias, das vontades e dos ideais dos animais da Granja do Solar, a fazenda do Sr Jones. O fazendeiro Jones possui um temperamento complicado, ele é agressivo, pois bebe demais, em razão disso ele negligencia o cuidado dos animais, deixando-os passar fome e obriga-os a trabalhar mais do que o necessário para que assim ele lucre com a exploração da força de trabalho dos animais.

Certo dia, o Major Porco reúne todos os animais no celeiro a fim de apresentar suas reflexões sobre a vida e propor mudanças. Afirma que durante sua vida ele observou que a vida de todos os animais da Granja do Solar possuía o mesmo propósito e caminhavam para o mesmo fim: Nascer, ser explorado pelo homem, e morrer. 

Figura 3 – Animação “A revolução dos bichos”
Fonte: Cultura Genial, 2020

O Major Porco então questiona por quais razões os animais passam fome e possuem uma vida miserável se o fazendeiro Jones tem comida para os alimentar melhor e dinheiro para oferecer melhores condições de vida para eles, o Major Porco instrui os animais a se organizar para serem “donos” de si mesmo e expulsar o causador de sua desgraça, seu inimigo, o homem Jones. Por fim, ele apresenta uma canção nomeada “Bichos da Inglaterra” que inspira uma sociedade ideal em que não há fome e todos são livres. Três dias depois o Major Porco faleceu, porém os outros porcos se encarregaram de espalhar o pensamento do “Animalismo” criado por ele, pois os porcos eram animais mais instruídos.

A revolução animalista ocorreu mais cedo do que se esperava, pois o senhor Jones bebeu muito porque estava frustrado com uma ação judicial e ficou dois dias fora. Quando ele retornou todos os animais lhe atacaram e o expulsaram da fazenda. Felizes, pela primeira vez em tanto tempo dormiram com a esperança de que o amanhã seria melhor. Os porcos Napoleão, Bola-de-Neve e Garganta pegaram tintas e escreveram “Granja dos Bichos” onde antes se lia Granja do Solar, a revolução animalista finalmente aconteceu. 

Figura 4 – A revolução dos bichos em quadrinhos
Fonte: Correio Braziliense

Os porcos convocaram uma nova reunião e estabeleceram os 7 mandamentos dos animais que consistiam em proibir ações humanas como beber, dormir em camas, usar roupas e matar. Os outros 3 mandamentos diziam que todos os animais são iguais, e apontava quem era amigo  (aquilo que anda sobre 4 pernas ou tenha asas) e inimigo (aquilo que anda sobre 2 pernas). Alguns animais não conseguiam ler e decorar os mandamentos, então os porcos resumiram o animalismo na seguinte frase “Quatro pernas bom, duas pernas ruim”.

Durante o governo de Bola-de-Neve as coisas iam bem, houve mais comida e mais descanso, e até houve uma tentativa de alfabetização do animais. Em suma,  todos se sentiam felizes e realizados. Em dado momento Bola-de-Neve sugeriu a construção de um moinho que facilitaria as tarefas brutas e melhoraria a qualidade de vida dos animais. Porém, Napoleão o acusou de ser um traidor e o expulsou com a ajuda de cães raivosos. 

Após a expulsão de Bola-de-Neve inicia-se o governo de Napoleão que é marcado pela repressão de ideias contrárias aos seus interesses e à fome. O porco Garganta o apoia e torna-se seu porta-voz comunicando as decisões de Napoleão aos outros animais e buscando convencê-los que a sociedade em que vivem era melhor que a do Sr Jones, pois eles não são mais escravos de um homem e todo o seu trabalho é em seu próprio benefício.

Durante o governo autoritário de Napoleão a cantoria do hino  favorito dos animais “Bichos da Inglaterra” foi proibido  e os mandamentos foram alterados de acordo com a vontade dos porcos, se antes era “proibido beber” agora é “proibido beber em excesso”, se antes era “proibido dormir em camas” agora os porcos diziam que apenas é proibido dormir em camas com lençóis. Todas as brechas nos mandamentos serviram para beneficiar os porcos, pois tinham mais tempos para lazer visto que não faziam o trabalho bruto e se escondiam atrás da frase “Somos mais inteligentes”para continuar na liderança.

Há também outros personagens importantes no livro, como o cavalo Sansão que representa o trabalhador modelo que possui um lema interessante “Continuarei trabalhando duro”, essa frase é muito utilizada na cultura coreana, principalmente entre idols. Na mixtape D-2, autoria de AGUST D, há uma música que faz uma crítica ao lema do cavalo Sansão: 

Eu te encaro do lugar mais profundo/ A vergonha, ou talvez o ódio, o nojo e a raiva/ Esses também parecem muito fúteis/ Talvez seja apenas uma miragem/ Talvez a sua paixão está sendo pressionada em você/ Forçado pelas emoções/ Tenha cuidado com as palavras “fervor inicial”/ Não tenha medo/ Tente acender o fogo, acender o fogo. (AGUST D, Burn it, 2020)

As palavras “fervor inicial” são utilizadas no mesmo contexto que “Trabalharei duro”, é uma forma de dizer que você não desanimará no caminho, que não perderá o “gás” inicial. AGUST D critica esses termos, pois apesar de ser gratificante trabalhar bastante, também é exaustivo e pode consumir sua saúde, da mesma forma que aconteceu com Sansão, cujo “fervor inicial” foi tão intenso que o transformou nas cinzas de um cavalo trabalhador.

Além de Sansão temos a égua Quitéria que apesar de não ter estudo reconhece as injustiças de Napoleão, o burro Benjamim que se mostra isento em todos os governos, pois não acredita em mudança, e a égua Mimosa cuja vaidade e gula leva a colocar seus interesses acima do coletivo, chegando a abandonar a Granja. No fim, os animais que sobreviveram ao sangrento e autoritário regime de Napoleão percebem a hipocrisia de seus representantes.

Em suma, “A revolução dos bichos” faz críticas à regimes totalitários e aponta a hipocrisia dos governantes que burlam as regras para benefício próprio. Observa-se que o livro demonstra os jogos de poder dos porcos, critica a censura e a manipulação das massas que ocorre com os animais. A educação mostra-se como um fator determinante na sociedade do livro, pois auxilia na compreensão da política e traz mais oportunidades.  

No entanto, ainda que o acesso a educação exista (e seja elitista), o sistema de ensino precisa passar por inúmeras mudanças. Até mesmo  na realidade da Granja dos Bichos, a educação não atingiu a todos, pois os porcos professores e não se atentaram às especificidades de cada aluno, além de apenas os fazerem decorar os mandamentos ao invés de explicar a ideologia que os guiava e os fazerem refletir, os porcos criaram uma massa que simplesmente aceitava tudo que lhe era imposto, pois não tinham conhecimento o suficiente para questionar. Dessa forma, nota-se a importância do conhecimento e da educação.

Mas o que isso tem a ver com o BTS? Como todos sabem, os primeiros álbuns do BTS seguiram um conceito de estudantes e muitos dos MV’s se passam num cenário escolar, pois as músicas são voltadas ao público que está na sua fase escolar. Como exemplo temos o single de debut No more Dream” : “Cansado do mesmo dia, os dias repetidos/ Adultos e meus pais mantêm sonhos para mim/ A melhor carreira é um funcionário do governo?/ Não é um sonho forçado, um nono lançador cansado? (BTS, No more Dream, 2013). Nesse trecho o BTS se questiona se os sonhos que temos são realmente nossos ou frutos de uma imposição, há uma crítica a pressão que a sociedade faz nos jovens para que eles sonhem ao mesmo tempo em que impõem sonhos e carreiras “ideais”, a mesma pressão que os porcos fizeram para dar início a revolução da “sociedade ideal” que foi corrompida pelos interesses de Napoleão. A mesma temática é desenvolvida em N.O no seguinte trecho: “Não seja capturado pelos sonhos dos outros/Rolamos (rolamos) rolamos (rolamos) rolamos/ Todo mundo diz não/ Tem que ser agora” (BTS, N.O, 2013).

Além da letra, o MV demonstra a revolta do BTS com o sistema educacional que cria “máquinas acertadoras de respostas” ao invés de alunos com senso crítico.

Figura 5 – BTS pré-revolução
Fonte: BTS, N.O, 2013

 Da mesma maneira, a Granja dos Bichos sob o governo de Napoleão buscou criar uma massa de manobra que aceitasse todo o “conhecimento” dos porcos e impediu que os outros animais tivessem acesso aquilo que os levaria a liberdade: O conhecimento.

Figura 6 – BTS é a revolução
Fonte: BTS, N.O, 2013

No MV de ProMeTheUs de Yankee em colaboração com RM e outros rappers há uma alusão à Animal Farm na animação e nos  versos.  Observe:

Figura 7 – All animals are equal/ Anima is art
Fonte: YANKIE, ProMeTheus, 2015

Nas três paredes é possível ler a frase principal “All animals are equal” e  na parede central  está escrito “Anima is art”. A frase principal é uma referência direta ao animalismo descrito no livro de Orwell. Já a frase central é uma forma do RM revelar que suas inspirações, suas expressões e sua arte vem da alma (Anima do latim: alma), isto é, são influenciadas pelo seu “eu interior” e seu arquétipo feminino (Psicologia Junguiana).

Nos versos de RM há uma alusão ao consumo de bebida que os porcos fazem na Granja dos Bichos: “난 걍 예술이 좋아 그 어떤 술보다 더/ /임마 여긴 RM이 차린 칵테일 bar, 넌 주는 대로 쳐 마셔” (YANKIE, ProMeTheUs, 2015). “Eu simplesmente gosto das artes/ Mais do que qualquer tipo de álcool/ Cretino, esse é o bar de coquetéis que o RM pôs/ Você irá bebê-los enquanto eu os dou” (YANKIE, ProMeTheUs, 2015, tradução BTSBR)

Nesse trecho RM  faz um jogo de palavras em coreano ao comparar “as artes”  (예술- Yesur), e “álcool” (술- Sur), ele ressalta sua preferência às artes sobre o álcool, em seguida apresenta o “bar do RM” demonstrando que fará os haters “engolirem/beberem” a sua arte/seu rap.  O amor à arte torna-se evidente quando o RapFoster (porco doMV) aparece vestindo uma camisa que diz “I love art” rodeado por figuras “femininas” que representam a anima do porco.

Figura 8 – I love art 
Fonte: YANKIE, Prometheus, 2015

O BTS utiliza diversos intertextos para contar e recontar sua própria história e a estória dos personagens que eles representam no Bangtan Universe (BU). Animal Farm é um desses intertextos que foi usado no School Trilogy e em trabalhos solo como ProMeTheus. Você consegue encontrar outras “referências”? O que achou do livro? Ficou com vontade de ler? Compartilhe conosco 🙂

REFERÊNCIAS

  • AGUST D. Burn it (feat. MAX). Seul: BigHit Entertainment, 2020.
  • BTS. No More Dream. Seul: BigHit Entertainment, 2013.
  • BTS. N.O. Seul: BigHit Entertainment, 2013.
  • FUKS, Rebeca. Livro A Revolução dos Bichos, de George Orwell. 2020. Disponível em: https://www.culturagenial.com/a-revolucao-dos-bichos/. Acesso em: 29 maio 2020.
  • MACIEL, Nahima. Ilustrador Odyr leva para os quadrinhos clássico de Orwell: História da revolta da bicharada foi escrita por autor britânico como uma crítica ao fascismo. 2018. Ilustrado por Odyr. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/diversao-e-arte/2018/10/21/interna_diversao_arte,713838/odyr-leva-critica-de-george-orwell-para-quadrinhos.shtml. Acesso em: 16 jun. 2020.
  • ORWELL, George. A Revolução dos Bichos. São Paulo: Editora Ridendo Castigat Mores, 2000. 144 p. Disponível em: http://www.ebooksbrasil.org/eLibris/animaisf.html. Acesso em: 28 maio 2020.
  • YANKIE. ProMeTheUs (튀겨) (Feat. Dok2, Juvie Train, Double K, 랩몬스터 of BTS, Topbob, Don Mills). Seul: Amoeba Culture, 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *