LOVE YOURSELF: A arte de criar álbuns

Catharina Maciel e Juliana Follador
Revisado por: Brunna Martins e Julyanna Dias

Levando em consideração que exploramos bastante a arte de forma subjetiva e sensorial até o presente momento, no texto de hoje, queremos apresentar para vocês a arte aplicada em um campo de atuação, como por exemplo: os álbuns da série ‘LOVE YOURSELF’, desenvolvidos pela empresa Huskyfox, que ganharam em 2020, o prêmio de Design na categoria Brand and Communications, da Red Dot Design Awards, dentre 7.000 projetos inscritos.

A arte pode ser expressada de várias formas, como já comentamos por aqui, assim como também pode ser percebida por diversos meios, além de existirem muitas maneiras de ser interpretada — cabe ressaltar que de forma subjetiva. Arte é experiência e é percebida pelos nossos sentidos, assim como pelo contexto onde estamos inseridos. Logo, quais são os sentidos que podemos usar para percebê-la? Tato? Olfato? Visão? Audição? Paladar, será? Mas, onde tudo isso se encaixa? Hoje, iremos explorar como a área do Design Visual traduz e comunica para os sentidos e também veremos onde que a arte se encontra nisso tudo. Cabe reforçar que abordaremos com um olhar artístico, subjetivo e geral, pois todos temos nossas opiniões e inclusive vamos adorar ouvir a sua.

A palavra  ‘design’ vem do latim designáre, significa “marcar; indicar” e também pode ser encontrada oriunda do francês désigner, que significa “designar; desenhar”. É sinônimo de projeto ou planejamento, ou seja, em essência, o papel do design é projetar algo no âmbito sensorial. Não fadado somente a isso, mas é voltado para a criação de soluções para uma ideia ou para uma necessidade.

Já o termo  ‘arte’ tem origem no latim ars, artis e vem da palavra ágere, que significa “agir”, e que também assemelha-se ao termo grego tékne, que significa técnica e habilidade. Além disso, como Rafael Cardoso aborda no seu livro “Design para um mundo complexo”, podemos encontrar semelhança  nesta palavra com o termo artefato, ou seja, uma produção humana. Assim sendo, percebemos que a arte é uma ação impulsionada por uma habilidade/técnica que busca expressar algum sentimento e/ou mensagem. Logo, sendo ela relacionada a expressão e produção humana, nesse contexto, a encontramos em diversas formas: teatro, dança, música, cinema, fotografia, ilustração e outros.

Com isso, nós enxergamos o design estando mais conectado às necessidades do mercado, de precisar comunicar objetivamente um produto, serviço, ideia ou mensagem (sem excluir o desenvolvimento de uma experiência para o público-alvo). Não estamos dizendo que achamos que ele deve ser óbvio, mas sim passar uma mensagem de forma objetiva. Ele também pode usar de técnicas artísticas na produção de seus projetos. Por outro viés, a arte procura transmitir algo através de algum veículo (técnica, objetos ou o próprio corpo) e tem o “objetivo” de puramente expressar, uma liberdade para a subjetividade, não possuindo a necessidade de apresentar pretextos/justificações e não focando necessariamente em atingir de forma nítida um público, dando a possibilidade de interpretação para o mesmo.

Objetivamente, embora sejam diferentes, o design e a arte possuem alguns pontos em comum, como: na busca constante de criatividade, referências para inspiração e o uso de algumas ferramentas e técnicas em comum como alguns softwares gráficos, por exemplo: o Adobe Illustrator, Adobe Photoshop e Corel Draw).

Neste cenário, você já pode compreender um pouco a importância, diferenças e objetivos de cada um. Abordaremos alguns elementos em comum no viés da arte, da identidade visual e comunicação da era ‘Love Yourself’. Vemos o Design Visual como todo e qualquer elemento visual que dá suporte, apoio e serve para comunicar. 

Quando falamos de identidade, um artista pode ser convidado a participar, por exemplo, do desenvolvimento de  um logotipo, na criação de um símbolo ou ilustração. É uma área que possui vários pontos de contato, ou seja, há diversas formas de ser percebida e essa é uma delas. Existem aplicações digitais e gráficas e, nesse caso, a empresa desenvolveu a identidade e aplicou a diversos meios, todos fazendo parte da “tradução” da mensagem para a comunicação e conexão da marca para com o público.

Na indústria do K-pop, o aspecto visual é muito importante, especialmente quando se trata da identidade visual – conceito – e embalagem dos produtos. Os itens – como os álbuns – são projetados especialmente para os fãs e não são somente CD’s para se escutar, mas também, toda uma experiência para aproximar ainda mais o fandom dos idols. Eles compram pela experiência e pelo significado, esperando pelos photobooks, cards e pôsteres. 

Imagem 01: Foto enviada pela integrante da equipe BAA Ana Luíza, onde mostra um pouco do conteúdo interno do álbum Love Yourself: Tear)

A partir de um estudo sobre público-alvo, objetivo e a necessidade de ser algo único, os álbuns são projetados especialmente, diferente de outros já existentes no mercado e até mesmo dos álbuns anteriores do próprio grupo. Tudo tem um significado, e é pensado para conectar com o conceito — fotos, cores, layout e até mesmo tipografia e símbolo —, como no caso da marca Love Yourself.


São levados em consideração para o desenvolvimento aspectos como: qual o público-alvo? Qual estratégia a ser utilizada? Qual o diferencial do produto no mercado? Qual experiência você quer proporcionar? Qual os valores e mensagem principal? Essas perguntas ajudam a organizar e traduzir a mensagem que será passada através do produto final.

Por isso, é importante entender que uma Identidade Visual é uma combinação de vários elementos visuais que refletem e transmitem uma mensagem, criando então ideias, nomes, produtos e serviços. São construídos a partir da junção de elementos como: cores, tipografias, formatos, diagramações, entre outros, que possuem o papel de criar uma experiência capaz de gravar o que foi construído na mente das pessoas, de forma rápida e objetiva. 

Também possui o papel de estabelecer um vínculo emocional com o usuário, criar uma experiência que leve a identificação e fidelização, neste caso, aproximando o fandom do BTS e sua mensagem. A Identidade Visual também é tangível e faz apelo aos 5 sentidos — você pode ver, tocar, observar, mover —, por isso se “desdobra” em vários pontos. No caso da produção deste álbum, por exemplo, as escolhas dos materiais do photobook até a embalagem fizeram toda a diferença

Quando falamos de projetar experiências, a empresa Huskyfox é especialista em trabalhar de forma abrangente e estratégica, também desenvolvendo serviço de branding*. Nesse contexto de diferenciar e de se preocupar com essa relação de aproximação do fandom com a mensagem do BTS, os diretores do estúdio buscaram constantemente construir relações entre marcas e usuários através da criação de uma identidade por meio de linguagens de marca e elementos visuais. Diferente de outros casos, a equipe foi responsável pela concepção narrativa, storytelling, desenvolvimento e aplicações da identidade diretamente em conjunto com o departamento de criatividade visual da Big Hit.
Neste ano de 2020, pelas suas embalagens, a série dos álbuns ‘Love Yourself’ ganhou na categoria Brand and Communications  no Red Dot Design Awards. A premiação é extremamente prestigiada mundialmente  e acontece desde 1955. Este ano, dentre todas categorias, os jurados receberam inscrições de mais de 7 mil projetos de empresas e organizações ao redor do mundo! 

A série foi bastante elogiada e reconhecida pelas formas de expressões orgânicas implícitas na narrativa e mensagem de cada álbum. É possível observar uma marca sólida (Love Yourself) bem construída e nos demais uma diferenciação pelo lindo trabalho de desenvolvimento de símbolos e a conexão entre eles, os espaços e esquema de cores. São esses elementos citados que possuem convergência com a arte.

Para conseguir assimilar as escolhas feitas para o álbum, é necessário entender o contexto e a narrativa — era musical — no qual ele está inserido.

Portanto, vamos ao contexto geral.

Cada um teve quatro versões produzidas, somando um total de 12 álbuns. Fazem parte do produto: embalagem, digipack com CDs, photocards e photobooks.

O próprio estúdio revela, ao explicar o projeto, a importância da identidade da narrativa de ‘Love Yourself’ se conectar com as eras anteriores de ’School Trilogy’,  ‘You never Walk Alone’ e  ‘Wings’, assim como, focar nos jovens e nas mensagens sobre sonhos, amor e esperança.

A história da série é contextualizada nas relações pessoais, no crescimento, amadurecimento, desenvolvimento da autoestima e o amor próprio. 

A marca deveria ser consistente e entregar um sistema organizacional, uma linha orgânica, por isso termos foram categorizados para a ‘história do álbum’, ‘valores’ e ‘palavras-chave’, como é possível ver na imagem abaixo:



(Imagem 02: sistema organizacional que categoriza  as histórias dos álbuns, os valores e palavras-chaves para o desenvolvimento dos álbuns. Fonte: https://www.behance.net/gallery/77735237/BTS-LOVE-YOURSELF-SERIES-Album-Identity?isa0=1#, Acesso em 03 de agosto de 2020


Quando falamos sobre um sistema consistente, estamos nos referindo a um conjunto de elementos similares e marcantes, que fazem com que o público consiga interagir de forma mais fácil e identifique as informações importantes por já ter aprendido e associado a marca antes. Esse princípio trabalha com aspectos estéticos, funcionais, internos e externos; nesse caso podemos observar de forma bastante nítida a estética, onde o logotipo utiliza fontes, cores, gráficos similares e consistentes que se desdobram nas submarcas (demais álbuns, Wonder, Her, Tear e Answer). 

Foi desenvolvido um logotipo especialmente para a era ‘Love Yourself’, inclusive com uma fonte feita exclusivamente para tal. A marca foi criada para ser fluída e criar uma conexão emocional. A tipografia representa, dá destaque e serve de apoio para as demais variações.



Imagem 03: logotipo da era  ‘Love Yourself’ e sua respectiva tipografia desenvolvida. Fonte: https://www.behance.net/gallery/77735237/BTS-LOVE-YOURSELF-SERIES-Album-Identity?isa0=1#, Acesso em 03 de agosto de 2020


A narrativa da identidade e das embalagens dos álbuns ‘Love Yourself’ representam três estágios, uma flor desabrochando para transmitir a emoção de começar a se amar, a dor de enfrentar um amor falso e, por fim, a ideia de que amar a si mesmo é o verdadeiro caminho e o começo para um amor verdadeiro.

Abaixo veremos como foi estruturado o sistema para conexão entre todos os álbuns. A proposta deveria abraçar a mensagem de conforto e esperança para jovens com baixa autoestima, falar sobre crescimento e amadurecimento, assim como, o verdadeiro caminho para o amor próprio.


A marca principal ‘Love yourself’ se desdobra nas submarcas, dos demais álbuns: ‘Wonder’, Her’, ‘Tear’ e ‘Answer’.
A concepção foi feita de modo a serem quatro etapas. ‘Wonder’ passando a mensagem de paixão, curiosidade e surpresa antes do amor começar; ‘Her’ o primeiro passo que faz a pessoa sentir que amor é sobre a vida; ‘Tear’ o passo doloroso de quando o amor acaba, quando se enfrenta um amor falso e, por fim, ‘Answer’ apresentando o amor próprio, o passo que somente é dado quando se olha para o seu passado sofrido e o ressignifica. Conforme mostrado na imagem abaixo.

Imagem 04: sistema organizacional que explica os valores e palavras-chaves para o desenvolvimento dos álbuns.
Fonte: https://www.behance.net/gallery/77735237/BTS-LOVE-YOURSELF-SERIES-Album-Identity?isa0=1#, Acesso em 03 de agosto de 2020


As cores desempenham um papel muito importante: o de destacar, chamar atenção e principalmente simbolizar significados, criando laços emocionais. Tudo é pensado em detalhes. Agora, observe e lembre dos álbuns, suas músicas, conceito, o que cada escolha de cores te passa?

Elas foram pensadas para possuir uma conexão e fluidez entre os álbuns. Para ‘Wonder’ — mesmo que não possua aplicação em embalagem física — foi escolhido o cinza, representando um passo antes da emoção do amor existir, uma cor neutra. Para ‘Her’, o branco foi a cor utilizada, representando o sentimento do início do amor, onde tudo parece iluminado e claro. Já em ‘Tear’, a cor usada foi preto, transmitindo a mensagem da ausência do amor e quando tudo parece escuro, sem saída; é difícil enxergar por causa da dor de perder esse amor; deixar ele ir. Por último, para ‘Answer’ foi utilizado um degradê de cores passando pelo azul, roxo, rosa e pêssego, e aplicação holográfica, representando a experiência pós-amadurecimento, o descobrimento doloroso, um passo para a auto-reflexão, onde tudo ao redor parece cheio de emoções positivas

De acordo com Heller (2015) em Psicologia das Cores, o branco tem associação com honestidade, uma cor do “bem”, da leveza, limpeza, pureza, perfeição, clareza e exatidão. Olhem como tudo se conecta e faz sentido: o branco representando a inocência de um jovem amor, onde tudo parece “perfeito” e nítido. 

O preto, por sua vez, diferente do que muitos acham, é sim considerado uma cor. A cor é relacionada com a ausência da luz, como um “fim”. O pintor Wassily Kandinsky descreve o preto como: “um nada sem possibilidades, com um nada morto, após a extinção do sol, como um eterno calar, sem futuro e sem esperança“. Além disso, a cor é muito associada ao luto e a negação. Aqui, podemos ver a conexão comentada e as sensações que as músicas do álbum também podem nos causar; um momento onde encontramos a frustração, enfrentamos falsidades, um mundo cruel; é doloroso e parece não ter “saída”.

O preto também pode ter sido escolhido por conta do seu maior público-alvo. De acordo com Heller (2015), 20% dos jovens entre 14 e 25 anos preferem essa cor.


Imagem 05: sistema organizacional de cores para o desenvolvimento dos álbuns. Fonte: https://www.behance.net/gallery/77735237/BTS-LOVE-YOURSELF-SERIES-Album-Identity?isa0=1#, Acesso em 03 de agosto de 2020)

Abaixo, podemos ver como a marca principal ‘Love Yourself’ é fácil de ser identificada e chama atenção, até mesmo em sua abreviatura. Também é “neutra”, sendo de fácil utilização para harmonizar com as cores dos álbuns. 


(Imagem 06: Aplicação da marca e submarcas. Fonte: https://www.behance.net/gallery/77735237/BTS-LOVE-YOURSELF-SERIES-Album-Identity?isa0=1#, Acesso em 03 de agosto de 2020)


Um símbolo, que é a parte aqui onde enxergamos um artista ilustrando —, é abstrato, um signo que se refere à um objeto por associação de ideias e sentimentos produzidos por uma convenção do imaginário coletivo. Eles são mais comuns do que palavras e, muitas vezes, não se consegue explicá-lo…”Uma imagem vale mais do que mil palavras”.


Podemos observar como foi organicamente desenhado, com liberdade, onde parece fluído e não preso a representações “fiéis”. Observe também que uma linha bastante curva se conecta entre todos.


‘Wonder’ representa uma flor antes de desabrochar, onde as emoções são confusas. Apesar de ser de difícil identificação, é possível ver a desconstrução de uma flor.Em “Her”, a flor desabrocha, o sentimento de amor cresce e se intensifica, a flor começa a tomar forma e está aberta. Já em “Tear”, o símbolo se torna confuso. Na parte inferior, assemelha-se a uma folha, mas tudo parece confuso e sem forma, e é realmente isso: o sentimento de estar perdido; as pétalas caindo, seu “mundo” se desfazendo. Por último, podemos ver o símbolo transformado-se em um coração, ou seja, a partir dessas experiências, se encontra o amor próprio. É extremamente lindo. Ainda sobre a ilustração do símbolo, podemos notar também quando é falado sobre transmitir amor, jovialidade, fluidez; as linhas são delicadas e finas.

Ainda enquanto a flor como símbolo, foi buscado um elemento que conectasse os álbuns e representasse a juventude, sendo encontrada uma forma através das linhas contínuas que simboliza sentimentos que se desenvolvem. Conforme imagens abaixo:

Imagem 07: Símbolos e seus significados. 
Fonte:https://www.behance.net/gallery/77735237/BTS-LOVE-YOURSELF-SERIES-Album-Identity?isa0=1#, Acesso em 03 de agosto de 2020
Vídeo 01: Símbolos se encontrando e se conectando. 
Fonte:https://www.behance.net/gallery/77735237/BTS-LOVE-YOURSELF-SERIES-Album-Identity?isa0=1#, Acesso em 03 de agosto de 2020)
Imagem 09: Conjunto de ilustrações aplicadas nos álbuns. 
Fonte:https://www.behance.net/gallery/77735237/BTS-LOVE-YOURSELF-SERIES-Album-Identity?isa0=1#. Acesso em 03 de agosto de 2020.

Nas aplicações, podemos ver todo o cuidado em proporcionar uma experiência através do layout e uso dos materiais. É possível notar uma escolha por área de respiro e espaço, tanto na capa quanto internamente, nas letras e fotos, sendo usada como forma de dar destaque a essas informações; passa também uma dramaticidade e estética de sofisticação.

Nos materiais, podemos observar o uso de papel de qualidade e alta gramatura, assim como a textura da embalagem por fora e, por fim, no álbum Answer, com holográfica/metálica,  causando uma admiração e toque delicado. 

Imagens 10, 11, 12, 13 e 14: Sequência de imagens mostrando fotos dos álbuns e seus acabamentos nos mínimos detalhes. Fonte:https://www.behance.net/gallery/77735237/BTS-LOVE-YOURSELF-SERIES-Album-Identity?isa0=1#, Acesso em 03 de agosto de 2020
"A Arte com A maiúsculo passou a ser algo como um bicho-papão (...) Podemos esmagar um artista dizendo-lhe que o que ele acaba de fazer pode ser excelente a seu modo só que não é "Arte". E podemos desconcertar qualquer pessoa que esteja contemplando com deleite uma tela, declarando que aquilo que ela tanto aprecia não é Arte, mas uma coisa muito diferente." (Gombrich, 2015) 

É com essa citação que te estimulamos a refletir e também voltamos a reforçar algo que estamos sempre falando aqui, no nosso painel: existem diversas obras e formas de criar arte, devemos explorar sem medo o ‘criar’ e o ‘apreciar’ (ou melhor, com medo mesmo viu!), e também exercitar o respeito para com os outros e diferentes manifestações/representações. 

Finalizamos, hoje, com uma pergunta para você: A série de álbuns foi premiada na categoria Brand and Communication e na sua vida, em que área ela foi premiada?

Esperamos que você tenha gostado do texto e te convidamos a compartilharem suas reflexões e expressões artísticas na tag #ArtecomBAA!

REFERÊNCIAS:

3 comentários em “LOVE YOURSELF: A arte de criar álbuns”

  1. Gente, ficou uma beleza! 😍 💜 Vocês conseguiram traduzir o espírito da minha era favorita conforme é a proposta do Painel. Além de uma abordagem sobre o enfoque da temática da busca pelo amor próprio que o BTS retrata nessa série de álbuns. Só obrigado! 😍

    1. Olá, Helmer! 💜 Obrigada pela sua mensagem! Somos suspeitas pra falar, porque essa era é muito marcante, de formas variadas, pra muitos de nós, haha.
      Ficamos muito felizes em saber que você gostou do nosso trabalho! Esperamos que tenhamos te inspirado um pouquinho!
      Atenciosamente,
      Equipe BAA 💜

  2. Eu sou suspeita pra falar porque foi a era que os conheci, e apesar de amar a Map Of The Soul, essa fica mais no meu coração. É muito interessante ver como o design de álbuns conversa com toda a narrativa de MVs e storyline das músicas também. Mais do que isso, como eles se preocupam em criar e interligar tudo pra melhorar a experiência ARMY 💜 respondendo à pergunta, a love yourself é tão importante que tatuei a frase no braço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *