MARIA DA GLÓRIA

23, BELÉM - PA
LETRAS

“Está cheio de cicatrizes / mas é o meu destino”. Desagrada-me a perspectiva de que hoje sou professora de Literatura porque isso sempre esteve determinado. Contudo, é quando penso na etimologia de destino (lat. destĭno,as,āvi,ātum,āre ‘fixar, prender, segurar, firmar, determinar, resolver, destinar, escolher, eleger, nomear’) que compreendo o porquê desses versos de Awake serem o modo mais apropriado de compactar minha infância e adolescência em cada corte e contusão que me fez gostar de ler. 

Fui eu que escolhi abrir um livro sempre que não havia o que fazer sobre aquilo que me machucava. Fui eu que escolhi ir para a escola mesmo quando meu corpo estava febril — e ficar por lá ainda que a aula acabasse cedo ou que fosse o período das provas de recuperação e eu nunca ficasse de recuperação. Eu. Não a Roda da Fortuna. Foi escolha minha me refugiar na sensação de aprender e nela ficar enredada. Em cada página lida, em cada história escutada, delineei eu mesma um futuro no qual estaria cometendo um erro se não lecionasse. 

Acredito que não se consegue convencer alguém a ler quando quem tenta fazer isso não é apaixonado pela Literatura. E, após dezessete anos só tendo ao que eu lia, sabia pela minha própria existência no mundo que um livro poderia salvar uma infância ou tornar a adolescência um tantinho mais fácil de respirar. Então eu precisava fazer aquilo, tornar-me aquele alguém que contaria sobre Apolo e as Musas antes de declamar para a turma poemas parnasianos; o alguém que tentaria provocar catarse em lugar de pretender lhe explicar; o alguém que faria uma turma compreender que devemos ler porque é nosso direito. 

Instigadora convicta, não exatamente assusta que tenha escolhido uma licenciatura — mas precisava ser essa, tinha que ser essa. Uma constatação que não me trouxe paz, entretanto. Eu amava cálculo tanto quanto amava ler, escrever, ouvir sobre o passado e discutir geopolítica… Mas que sentido há mesmo em regras gramaticais vistas apenas por ver? Provavelmente não um que pudesse me agradar e por esse motivo estudar linguística teve impacto até mesmo no meu posicionamento enquanto professora e pesquisadora de Literatura. 

Apaixonada por Intertextualidade, escrevi meu Trabalho de Conclusão de Curso sobre maridos abusivos na Literatura no mesmo período em que elaborei e ministrei um minicurso sobre as relações intertextuais e intratextuais contidas no Bangtan Universe (BU) do 2 Cool 4 Skool até Epiphany. É a esse estudo do BU a partir de teóricos da Literatura Comparada, da Análise do Discurso e da Semiótica que estou dando continuidade na elaboração do projeto de Mestrado.

B-Armys Acadêmica ® 2020. Todos os direitos reservados.

Fale conosco através do nosso e-mail:

contato@barmysacademicas.com